Comandante da PM de Criciúma diz que usou dinheiro repassado pela prefeitura para comprar medalhas


Em resposta ao ofício encaminhado pela nossa reportagem, que solicitou informações referentes aos gastos na compra de medalhas alusivas ao 25° aniversário do 9° Batalhão de Polícia Militar, o comandante da unidade, Tenente-coronel Cristian Dimitri Andrade adimitiu que usou cerca de R$ 7.640 do dinheiro repassado pela prefeitura via convênio para comprar parte das medalhas. Tais medalhas foram distribuídas ao longo do segundo semestre de 2020 à diversas pessoas de Criciúma e região. 

convênio, assinado dia 14 de dezembro de 2015, prevê o repasse mensal de R$ 35.000 da prefeitura para PM. Esse dinheiro é oriundo da cobrança de alvarás, licenças, liberações ou permissões emitidas pela Secretaria Municipal da Fazenda. 

Além disso, de acordo com o convênio, o dinheiro repassado deveria ser aplicados exclusivamente no Município de Criciúma, na 6ª Região de Polícia Militar e 9º Batalhão de Polícia Militar em despesas decorrentes de serviços e aquisições (contratação de serviços e mão de obra em geral, nas viaturas, materiais de expediente, bens móveis e imóveis) que caracterizem manutenção, aquisição, construção, ampliação e reforma em geral da Polícia Militar no Município de Criciúma. 

Internamente, o sentimento dos policiais é de descontentamento com a situação. "É inadmissível gastos como esses. Nosso batalhão está há anos passando por dificuldades financeiras, mas o dinheiro está vindo. A gente não sabia que todo mês entrava uma quantia dessa. Com certeza, se usado de maneira correta, poderia nos ajudar bastante. Precisamos de equipamentos, armas e munições. Espero que o dinheiro repassado pela prefeitura não seja mais gasto com coisas supérfluas", disse um policial.(Com Melhores Publicações)


Postagem Anterior Próxima Postagem