TRISTE: Mesmo fazendo um ótimo trabalho, Comandante da GR-9 será retirado de Criciúma


Criciúma está há mais de cinco meses sem registrar nenhum homicídio. O último caso ocorreu em dezembro de 2020. Além disso, crimes como furto e roubo diminuíram drasticamente na cidade. Em contrapartida, as apreensões de armas, drogas e pessoas procuradas pela Justiça há tempos não se via na cidade com tanta frequência.

 

Os bons números se da por uma nova fase que a Polícia Militar de Criciúma vem passando. Além da assunção de comando do Tenente-coronel Sandi Sartor, existe uma figura por trás desses números que é pouco conhecida.

 

Trata-se do Capitão Daniel Comerlatto, comandante da 3ª Companhia do 9° Batalhão de Criciúma. Daniel está à frente da 3ªcia desde o início de fevereiro de 2020, até então muita coisa mudou. O Oficial é responsável por todas as patrulhas convencionais de Criciúma, incluindo Rádio Patrulha (RP) e Guarnição Reforçada (GR-9).

 

À frente da Companhia, o Oficial mudou radicalmente a forma de se trabalhar em Criciúma. Daniel passou a estar mais presente com os polícias subordinados, buscando melhores condições de serviço e procurando dar mais  liberdade para os policiais trabalharem de uma maneira que não se sintam pressionados.

 

A GR-9, por exemplo, sob o comando do Capitão Daniel, se tornou referência em Criciúma e Santa Catarina. A guarnição é responsável pelas maiores prisões e apreensões nos últimos meses na cidade.



AÇÃO DESCABÍVEL PERANTE A COMUNIDADE


Essa semana, Daniel foi comunicado pelo Coronel Evandro de Andrade Fraga, comandante da 6ª Região de Polícia Militar (6ªRPM), que não permanecerá mais à frente da Companhia e que muito provavelmente poderá ser  transferido para uma cidade longe de Criciúma.

 

O motivo da transferência e a perda do comando da Companhia, de acordo com algumas informações internas, se da pelo fato do Capitão ter sido flagrado em uma gravação telefônica com um familiar dizendo que seu antigo superior hierárquico, Tenente-coronel Cristian Dimitri Andrade, investigado pelo Ministério Público por suposto crime de improbidade administrativa, era chato pra C****.

 

Confirmado a mudança, o que pode acontecer a qualquer momento, os números positivos devem diminuir. Vários policiais procuraram nossa reportagem e já deixaram claro que sem a supervisão do Capitão Daniel, não se sentirão livres para trabalhar.


“O Capitão é um pai para nós. Sempre nos tratou muito bem e deu toda assistência necessária para podemos desempenhar um bom serviço junto à comunidade. Estão retirando ele porque ele se destaca demais, creio eu. É muito triste saber que um Oficial tão competente está sendo tratado dessa maneira”, relata um policial militar.



Nossa reportagem deve procurar nos próximos dias, a opinião pública da comunidade, a qual será a maior prejudicada com a decisão acima. Em breve iremos trazer mais informações sobre tal decisão.




Por Redação


Postagem Anterior Próxima Postagem