PMSC se manifesta sobre sargento da reserva que admite em vídeo ser racista


A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) se manifestou por meio de uma nota oficial sobre o sargento da reserva, de São Ludgero, que aparece em um vídeo chamando uma mulher de macaca e admitindo ser racista. 

"A PMSC repudia toda e qualquer tipo de violência contra a mulher ou vulnerável, bem como qualquer tipo de racismo", diz a nota da PMSC. A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o sargento que está na reserva desde março de 2016. 


Entenda o caso

Um sargento da reserva da PMSC foi filmado enquanto chamava uma mulher de macaca. "Eu sou racista e eu não suporto negros. Tenho amigos negros, mas amigos decentes, não essa negrada marrenta", diz o militar no vídeo. E ele ainda completa chamando a mulher de 'macaca' e desgraçada. Confira abaixo a nota da PMSC: 

A respeito do referido vídeo divulgado recentemente em redes sociais, a Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), por meio do Centro de Comunicação Social vem esclarecer que:

- A PMSC repudia toda e qualquer tipo de violência contra a mulher ou vulnerável, bem como qualquer tipo de racismo. Diante deste fato, a referida ocorrência deverá ser apurada com rigor por todos os processos legais;

- O homem que aparece no vídeo é sargento da PMSC, que está na reserva desde 9 de março de 2016.

- Todo policial militar, seja de ativa ou da reserva, deve seguir em conformidade com os dispositivos previstos no Regulamento Disciplinar da PMSC, Código Penal Militar e legislação penal geral. O caso identificado será encaminhado à Corregedoria-Geral da PMSC. 


Fonte: Engeplus


Postagem Anterior Próxima Postagem